Empresas de Londrina receberam R$ 110 milhões do BRDE no ano passado

Apesar da crise econômica nacional, os empreendedores de Londrina e da região Norte estão dispostos a investir. É isso o que mostra o volume de financiamentos liberados pelo Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE) em 2015. Foram R$ 110,6 milhões em financiamentos para 55 projetos de diversas áreas na Região Metropolitana de Londrina. O valor é mais que o dobro do registrado em 2014, quando foram consolidados R$ 43,2 milhões em financiamentos.

Considerando o volume de financiamentos do BRDE contratados no Norte do Paraná, os números também são positivos. Em 2014, foram R$ 147,7 milhões financiados e em 2015, R$ 349 milhões. Desse total, R$ 129,2 milhões foram para projetos na área da indústria de transformação. Outro setor que se destacou no montante de financiamentos foi o de comércio e serviços, com R$ 83,7 milhões contratados, seguido do de infraestrutura com R$ 79,3 milhões.

Para o superintendente da agência paranaense do BRDE, Paulo Starke Junior, em parte, o aumento significativo se deve à aprovação de operações para financiamentos de grandes projetos na região, como o da Cooperativa Cocamar, que em uma única operação obteve R$ 69,5 milhões para investimentos no setor de armazenagem.

O crescimento econômico da região, com alto número de empreendimentos na área da indústria da transformação e infraestrutura, incluindo geração e distribuição de energia, também influenciou o resultado, segundo o superintendente.

Em 2016, os financiamentos do BRDE devem manter o estímulo aos empreendedores da região. Até agora já foram contratados R$ 13,7 milhões no Norte do Estado e mais R$ 350 milhões estão em análise no banco. A previsão inicial da agência paranaense do BRDE é disponibilizar ao menos R$ 1,33 bilhão em financiamentos em 2016 para empreendimentos no Paraná. Mas esse volume pode aumentar, como aconteceu no ano passado.

Em 2015, o orçamento inicial da agência previa R$ 1 bilhão em contratos, mas o valor chegou a R$ 1,53 bilhão. Boa parte das operações (55%) veio através do trabalho de prospecção do banco. “Ao contrário de outras instituições bancárias de fomento, que ficam esperando que os empreendedores as procurem, o BRDE tem também saí a campo em busca de bons projetos. Nossa equipe percorre todo o Estado procurando possíveis clientes”, explica o diretor de Operações do BRDE, Wilson Quinteiro.

Atualmente, o BRDE conta com diversas linhas de crédito que atendem projetos nas áreas de agronegócio, indústria, microempresas, comércio, serviços, infraestrutura e inovação. Há também um programa especial destinado aos gestores municipais para financiamentos de projetos que tragam mais qualidade de vida à população. Todas as informações sobre as linhas disponíveis podem ser consultadas no site www.brde.com.br.